sexta-feira, 2 de maio de 2008

DEUS-JÁ-VI

DEUS-JÁ-VI
Eduardo B. Penteado


Foi numa praia em preto-e-branco
Numa noite expressionista
Sim, eu quase me lembro bem
Foi na época do meu primeiro monólogo com
deus(?)
Eu gritava e ele não respondia
Apenas me olhava
E eu andava calçado na água salgada
Um grito me acordou
E vi-me num sonho redondo e simétrico
"Socorro," gritou o que fui
De leve esbarrando no que sou
Torci para não ser reconhecido
Mas na multidão de eus,
Fui eu o escolhido
Cortei-me fundo, procurando uma veia
Mas só achei um veio de mercúrio
E eu estava longe, muito longe
Longe demais para gritar:
Morte, riso, planta, mulher
deus seja aquilo que eu o quiser!

15 comentários:

Eve disse...

comecei a ler tuas poesias agora.assim que acordei pq tava mesmo muito curiosa prá ver como e o que vc escreve e ...comecei ficando de cara com a força visula das tuas letras...acho que meu café da manhã vai ter que esperar porque vou continuar por aqui...MUITOOOOOOOOOOOOOOOO!!!

Louis Alien disse...

que seja que seja
seja o que seja Deus
feito de eus dos muitos eus
que eu nem sei.

hmmm. interessante espaço.
está devidamente adicionado ao meu blogue.

há braços!

Lucky Luciano disse...

Deus já vi...Deja Vu...Muito bom...muito bom...passearei sempre por aqui...
Valeu!!

Lu disse...

Edu, voce eh um artista mesmo. Desde garoto, sempre conseguiu captar nas palavras e na musica aquilo que os outros talvez sintam mas nao consigam expressar. Esse eh um dom que voce tem, mesmo -- obrigada pela iniciativa de dividi-lo com os amigos atraves deste blog. Estou curtindo aqui da California! Beijos e tudo de bom.

Cristina disse...

Ai, ai, ai... Alem d bonito, gostoso, dancarino d plantao e charmoso, (ih, ate fiz mini-poema, viu), eh músico, tradutor, editor de vídeo e poeta de férias!! Li teus 2 ultimos poemas, Deus, eu nunca Vi!! e minha boca virou sal! Tu ainda escreve bem bacarai!! Vai ser perfeito assim l**** casa! :) But still, u're great and will pass through it. I know, life sucks, but it's part of it.. move on, the rainbow is always hidden where u less expect.

FGurgel disse...

Querido descabelado,
Está muito, muito bom!
Vou visitar sempre.
Veja se põe um band-aid na alma e vai no próximo chope!
Inté!

Vitório disse...

Legal Edu. Materializar sentimentos como palavras dessa forma é SUBLIME. MUITO BOM...

Carlos Pereira Jr disse...

Muito interessante o poema; aliais, como todos os demais. Parabens pelo belo "trabalho", ou exercicio de meta existência.

domingostorres disse...

Amigo, desculpe o off-topic, mas achei legal e irá te interessar. Agendei o dia da tua apresentação e vou me esforçar para não perder.

http://oglobo.globo.com/blogs/overdubbing/post.asp?t=software_garante_jam_session_dos_sonhos&cod_Post=136623&a=553

Anônimo disse...

linda poema. Linda.

Flávio Miguel Mota Pereira disse...

estou espantado com a tua poesia. tens o pdf do livro que fizeste?
queria dar uma olhada

Joakim Antonio disse...

Muito bom,

E seremos o que já foi e nunca será.

Parabéns!

Anônimo disse...

22/10/2009 20:17 - Carlos Máximo
Excelente "encontros"

Anônimo disse...

22/10/2009 10:27 - josé cláudio Cacá
Esses "encontros" com o sagrado são muito intimistas, introspecivos e únicos. O poema ficou belíssimo. Bem vindo, paz e bem.

João Esteves disse...

Abri a caixinha de comentar no teu blog que acabo de conhecer com uma coisinha gaiata pra dizer sobre o título. Já disseram antes. O nome Penteado em flagrante contradição com a cabeleira da foto merecia um chiste que também já fizeram. Elogios a sua poética em especial neste caso vão soar de certeza déjà vu. Vou no mais ululante óbvio, então: gostei, tá?